Artista contemporânea

O nosso tempo está sempre em obras

Facebook Instagram
Nana Cunha

Arte abstrata

Arte Figurativa

Raio X

Design Construtivista

12 de março de 2016

MASP

14 de dezembro de 2015

Os Cavaletes de Vidro de Lina Bo Bardi!


Adriano Pedrosa prometeu e cumpriu! trouxe de volta nesta última sexta feira dia 11/12 os
considerados revolucionários cavaletes de vidro (agora feitos em cristal) de Lina Bo Bardi.
A Arquiteta imaginou essa pinacoteca como um salão único, rompendo uma hierarquia sugerida pelas exposições dos museus mais conservadores. Através da transparência o visitante tem a sensação de se integrar as obras.
A exposição que reune 119 obras do acervo do MASP é de longa dureção e inclui desde uma escultura grega datada do século 4 a.C. até obras de artistas contemporâneo como Marcelo Cidade.
Nomes importantes como Cézanne, Matisse e Portinari também fazem parte da mostra.

Lina Bo Bardi com o protótipo do cavalete e as peças de concreto, antiga e nova!

Bienal de Veneza 2015

9 de maio de 2015

Começa 09 de maio, a Bienal de Veneza, uma das mostras internacionais de arte mais famosas do mundo.
Nesta 56ª edição da Mostra Internacional de Arte da Bienal de Veneza 2015, o tema é "All the World’s Futures" ("Todos os Futuros do Mundo"), a relação entre os artistas e a arte diante do mundo atual, mergulhado em incertezas e conflitos;
o papel da natureza é igualmente integrado na proposta.
Cinquenta e três países vão participar da Bienal,
que também tem uma programação paralela e 89 pavilhões nacionais na cidade,
no centro histórico, nos bairros de Giardini e Arsenale e até no aeroporto.
Pela primeira vez na história, a mostra vai ter uma seção paralela dedicada à Street Art,
na zona portuária.
Arte, arquitetura, cinema, dança, música e teatro estarão ao alcance do público.
O Pavilhão do Brasil exibe "É tanta coisa que nem cabe aqui",
com trabalhos dos artistas Antônio Manuel, Berna Reale e André Komatsu.

A artista plástica brasileira, Adriana Barreto, foi escolhida para integrar o Pavilhão da América Latina, que traz o projeto "Vozes Indígenas", uma iniciativa genial que reuniu 15 países do continente em uma instalação sonora com idiomas em risco de extinção.
Adriana apresenta a obra "O Papagaio de Humboldt", inspirada na passagem do explorador e naturalista alemão Alexander von Humboldt pela América Latina, entre 1799 e 1804. "O trabalho é sobre as vozes [idiomas] que estão ameaçadas de extinção.

E VIk Muniz, faz um protesto contra o fim do projeto Mare Nostro, com a obra La Lampedusa.

Exposição Abril 2015

18 de abril de 2015

É sempre uma emoção começar uma exposição…
Cada peça a ser mostrada carrega consigo uma parte de mim…porém um quadro
não é nada sem o olhar do observador!

As peças selecionadas foram as telas abstratas e também
meus companheiros "raio x".
Comecei a utilizar chapas de raio x para a composição do meu trabalho,
há mais ou menos 2 anos…e cada dia me surpreendo e me apaixono mais
pelo resultado…desta vez consegui o queria, realizar todas as técnicas tendo
esse material, como minha base pictórica.

Um pouco de raio x pra você!!!

A exposicão acontece no Shopping Center Uberaba.
Venha ver!
Obrigada desde já pelo carinho!!!
bjs
Nana

Em busca da letra perdida

15 de março de 2015

Ninguém conhece a letra de ninguém…
Assim virou moda nas redes sociais, as pessoas se desafiarem numa brincadeira
para mostrar a própria letra, coisa jamais pensada tempos atrás…
Para mim, a letra significa de uma pessoa significa muitooo, vejo através dela um pouco
da personalidade de cada um, pode parecer engraçado, mas que funciona, funciona!

Recados, bilhetes, desabafos…
Emoções através da palavra, arrependimentos em rabiscos
e rasuras…
Desenhos infantis pra decorar…

Hoje, novos códigos dominam a conversa, ok,
sem problemas…a gente se adapta, aprende e até vicia…mas
que é gostoso ler algo escrito à mão e com coração,
isso é!!!

Nana

Fica Comigo

14 de março de 2015

Namoro ou Amizade?
Emocionante video da música Stay With Me!!!
Espero que gostem…

A Dama do Vermelho

13 de fevereiro de 2015

E de todas as outras cores, assim como das formas e do movimento.

Tomie Ohtake chegou ao Brasil aos 23 anos, com a desculpa
de visitar seu irmão, e porque também queria um tempo extra antes
do casamento que já estava sendo cogitado no Japão.
Com a guerra não voltou mais, conheceu Ushio Ohtake,
também japonês, com quem se casou e teve os filhos Ruy e Ricardo,
apenas com eles já crescidos, aos 39 anos é que começou a trabalhar.
Não parou mais!
Foram mais de 60 anos de trabalho dedicado à arte.
Pinturas, gravuras, xilografias, esculturas e monumentos públicos,
que carregam a marca delicada e impactante de suas formas e cores.

Começou com a arte figurativa,
mas o abstrato se tornou sua marca.

Aos 100 anos de idade pediu ao filho que colocasse sua cama no atelier,
para poder trabalhar assim que acordasse...e assim o fazia!
Trabalhava com peças pequenas, moldava suas formas,
imprimia-lhes movimento para que fossem reproduzidas mais tarde
em escalas maiores.
Alegria, liberdade, leveza, força e movimento foram transmitidas
por essa dama que deixa o Brasil órfão do seu talento
e também de tantos exemplos!

Seu corpo está sendo velado hoje, sexta feira 13/02/2015
no Instituto que leva seu nome em São Paulo.
Rua Coropés, 88 - Pinheiros - São Paulo

Nana

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
CATEGORIAS

Filtre os posts por categoria:


contato@nanacunha.com.br Uberaba - Minas Gerais - Brasil